Palavras de amor, palavras de afeto, palavras de alegria, palavras de amizade, palavras de carinho. São tantas palavras... Palavras, palavras...


segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Um presente para os nossos visitantes com os votos de um Feliz Natal!

1º Concurso de Árvore de Natal  da Paróquia Nossa Senhora das Graças
Campo Grande - Rio de Janeiro
Eu, Santana, a obra toda produzida em origami, Pe. Luiz Pereira e Rosália
Final da Santa Missa - Recebendo o Prêmio




3º lugar - Prêmio: Imagem de São José

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Várzea Alegre é uma das cidades mais felizes do Brasil

10.11.2013
Segundo o Ipea, o Nordeste é destaque no ranking brasileiro,
 quando o assunto é a satisfação de vida



Várzea Alegre. A região Nordeste é destaque no Brasil
em ranking sobre satisfação de vida. Quando o assunto 
é felicidade, o povo nordestino obteve o melhor desempenho, 
em recente avaliação elaborada pelo Instituto de 
Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Se fosse um País, 
a região ficaria em 9º lugar.



A Lagoa de São Raimundo Nonato e o Parque Cívico 
são excelentes equipamentos públicos de diversão e lazer, 
onde a população local, entre jovens, crianças e adultos 
faz caminhada e aproveita as tardes ensolaradas fotos: 
honório barbosa

O cearense é conhecido nacionalmente por ser um povo alegre 
e cheio de tiradas de humor. É gente festiva. Um exemplo vem 
do município de Várzea Alegre, localizado na região 
Centro-Sul do Estado do Ceará.

No nome desta cidade já há um forte indicativo. 
Basta uma visita rápida ao município para perceber 
que é uma terra de gente feliz, com seus personagens 
típicos e muita musicalidade.

"Não foi uma feliz coincidência. Historicamente essa 
terra desenvolveu-se, transformou-se em cidade, 
mas sempre manteve o espírito de felicidade em sua gente, 
daí o nome Várzea Alegre", afirma o secretário de Cultura, 
Milton Bezerra. "Aqui se brinca o ano todo com muita 
euforia e paz", completa.

A agenda cultural da cidade de Várzea Alegre começa na 
quarta-feira e se estende até o domingo, com música ao vivo, 
shows e apresentações de artistas locais. 
Erivan Show, Júnior Clementino e Antônio Carlos 
(Sanfoneiro Fuleragem) são exemplos atuais dos que 
vivem da arte.

Mas em um passado não tão distante, músicos como 
Chico de Amadeu, Pedro de Souza, mestre Chagas e 
seu Prejo animavam as festas do município.

O vendedor de pão-de-queijo, Amadeu Siebra Neto, 
desperta a atenção dos consumidores com seu jeito 
peculiar de trabalhar. Ele oferece o produto cantando músicas, 
assobiando o hino do padroeiro do município e imitando pássaros.

Até os velórios são marcados por presença de músicos 
e um cerimonial que inclui locutor-apresentador, 
que informa o tempo restante para o fechamento do caixão, 
e intercala com músicas religiosas e de Música Popular Brasileira, 
na casa onde o corpo está sendo velado.

Personagens

Atualmente, três personagens destacam-se na cidade
de Várzea Alegre. O músico Antônio José de Souza, 
mais conhecido por Pelé, é um deles. Ele está há dez anos 
fazendo divulgação volante pelo município.

Pedalando uma bicicleta equipada com som e um pistão, 
instrumento de sopro, desperta a atenção dos consumidores 
com publicidade musical cheia de alegria. O diferencial, 
segundo ele, é que as mensagens musicais são elaboradas em público.

"Sou contratado para mensagens de aniversário, declaração 
amorosa e tentativa de reatar relações entre os casais. 
Nem sempre dá certo e tem cada história interessante", revela.

Outra figura conhecida em Várzea Alegre é o ambulante 
Amadeu Siebra Neto. Conduzindo uma caixa de isopor, 
desperta a atenção dos moradores, como vendedor 
de pão-de-queijo e o seu jeito peculiar.

Ele oferece o produto de forma indireta, cantando músicas, 
assobiando o hino do padroeiro de Várzea Alegre 
(São Raimundo Nonato) e imitando pássaros.

O ambulante Pelé, como é conhecido Antônio José de Souza, 
percorre as ruas fazendo publicidade volante há dez anos, 
com músicas variadas. O diferencial, segundo ele, 
é que as mensagens musicais são elaboradas em público.

O palhaço palito é mais uma figura engraçada que 
percorre as ruas da cidade durante todo o dia. 
O personagem é incorporado por João Mendonça da Silva. 
Como o nome do lugar sugere, alegria não lhe falta.

Também sobra criatividade para driblar as dificuldades da vida e 
disposição ao trabalho. "Fui embora em 1990, 
corrido, com medo de morrer", conta com muito humor.

Na época, Mendonça era funcionário público municipal 
e trabalhava como fiscal. Ele prendia os animais que 
perambulavam pelas ruas do município. 
Após prender um jumento, o dono não gostou e o ameaçou.

"Tive medo, fui embora e passei cinco anos até melhorar do trauma",
revela. De volta à cidade, surgiu a ideia de criar 
o personagem palhaço palito. Em um triciclo, 
vende sucos e salgados, desde 1997.

Outro item de diversão garantida em Várzea Alegre é o seu Carnaval. 
O evento sempre foi animado e nos dias atuais é considerado 
pela população local como uma das maiores atrações do 
interior cearense.

A festa atrai milhares de foliões. A população local (jovens e idosos) 
brinca de forma incansável. Um dos destaques é a 
Escola de Samba Unidos do Roçado de Dentro, 
formada por agricultores, há 50 anos. "É um exemplo de pessoas simples, 
pequenos produtores, donas de casa, mas que mantêm o espírito de festivo", 
observa a pesquisadora local, Dayse Diniz.

Mais informações:

Secretaria de Cultura de Várzea Alegre

Rua Deputado Otacílio Correia,

S/N, Centro

Telefone: (88) 3541.1548

HONÓRIO BARBOSA

REPÓRTER 

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Felicidade!

Para quem não teve oportunidade de ver o Globo Repórter do dia 01/11/2013, deixo aqui o link. Vale a pena  conferir, afinal o que é Felicidade senão um pontinho dentro de nós?!
Busque o seu, descubra a sua felicidade e veja como a nossa Várzea é Alegre!

http://globotv.globo.com/rede-globo/globo-reporter/

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Conversa de avós, avós experientes!

É...

Protesto:

Um avô nunca deseduca um neto, apenas faz para ele o que os pais se recusam a fazer.
Um dia meu neto chegou correndo a minha casa que fica a uns cinquenta metros da dele e foi dizendo: Vovô, mamãe quer me bater.
Bate não, fique aqui até ela chegar - falei!
Nisso a mãe riscou de cinturão na mão e foi falando: ele vai apanhar!
Vai não! - falei com a decisão de quem defende o rebento do rebento até a morte.
O Senhor está me desautorizando - disse ela, ele precisa aprender a me obedecer.
Muito bem, pois ensine-o, mas não bata - falei categórico para a minha filha, ninguém bate em neto meu. Deixe para bater nos seus netos.
Nisso a avó que ouvia o lenga lenga saiu no terraço e bradou comigo - Você está errado, como é que pode autorizar ela a bater nos meus bisnetos que ainda nem nasceram?
E foi assim que aconteceu, sem tirar nem por.

Abraços 


Vicente Almeida e Valdênia

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Oração pelos netos que estão chegando...

Senhor, que estas crianças sejam saudáveis e inteligentes para Te amar e que os pais sejam também inteligentes e saudáveis para educá-los no Teu amor. E nós, Senhor, os avós, sejamos saudáveis, inteligentes e conscientes para apreciarmos com amor esse momento que será para honra e glória do Teu nome e deseducação destas crianças. Amém!
A avó mais chata do Universo!
Eu!

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Espera... Espera!

Aprende-se a esperar ou espera-se para aprender?!

A vida responde: Viva... Viva!


Artemísia, filosofando

domingo, 20 de outubro de 2013

Foz do Iguaçu - Brasil

Se Foz do Iguaçu não é o Paraíso, se aproxima!
Brasil, Argentina e Paraguai não é um triângulo amoroso, mas é maravilhoso!

                                 Garganta do Diabo é pura emoção!                                               (Argentina)
    
Garganta do Diabo ao fundo, vista do lado brasileiro



Parque das aves

  Marco das Três Fronteiras: Brasil - Argentina - Paraguai

Fotos: arquivo particular

                                   


sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Jesus Cristo e Judas Iscariotes em pleno século XXI!


O que é o ser humano? Ou quanto vale uma vida?

“Cada um rema sozinho uma canoa que navega um rio diferente, mesmo parecendo que está pertinho.” (João Guimarães Rosa).
Pois é! E você dedica uma vida inteira, corpo, alma e coração a um trabalho por amor, por gratidão, por respeito e outras tantas coisas mais...
Fazendo tudo por amor e para o bem do próximo. Não se arrepende nunca do seu trabalho e da sua dedicação.
Quantos dias, quantas noites! Foram muitas as vezes em que tiraram você da sua zona de conforto no meio da noite e você foi sem reclamar. É a sua missão. Vai! Colhe o sangue do paciente que espera ansioso por um resultado que seja favorável à busca da cura do mal que lhe atormenta. Vai, cumpre o seu dever com carinho e mansidão.
A cidade inteira conhece o seu trabalho. Mas chega um momento na vida em que você já não aguenta mais as condições precárias de seu trabalho que necessita ser o mais preciso, trabalha com aparelhos velhos e ultrapassados, mas você é firme, continua...
Chegou a hora de parar com dignidade e é aí que se vê ao lado dos que confiou e conviveu por tantos anos a explorar a sua bondade e ao agradecer troca as palavras e o modo de tratá-la. Você sofre bullyng, humilhação e assédio moral. Porém a sua bondade e mansidão é tanta que sai dignamente da zona de conflito doando o seu dinheiro para que seja devolvido a você parceladamente... Se eles acharem conveniente devolver e que merece receber.
Você doou quantas vezes seu dinheiro para campanhas políticas por livre e espontânea pressão e o candidato nem sabe que foi você que doou, porque foi manipulado por quem é autoridade e você respeita!
Vivemos com Jesus Cristo e Judas Iscariotes em pleno Século XXI!

Para quem sabe ser personagem principal desta história com um grande beijo e muito amor no cérebro!

Artemísia



sexta-feira, 13 de setembro de 2013

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

A pequena “grande” guerreira varzealegrense, Rosinha Miguel, vai à Nova York participar de exposição

Em tempos de valorização exacerbada de bundas, coxas e pernas, em que mulheres se expõem na mídia a todo custo somente para aparecer e parecerem importantes, uma história de superação vem mostrar que nem tudo está perdido.
rosinha-diario
Nesta quarta-feira à noite, conversei com Rosinha Miguel. Ela é da comunidade de Mocotó, zona rural deste município, onde comanda uma associação de produtores de artesanato, entre outras atividades que desenvolve. Dona Rosinha é uma dessas pessoas que despertam na gente aquele sentimento de luta, de garra, de persistência pela vida, que existe em cada um de nós, embora em muitas pessoas, ele permaneça adormecido.

A nossa artesã me contou eufórica da expectativa que vive nesses dias que antecedem a sua viagem à Nova York, nos Estados Unidos, onde participará, representando todo o Ceará, da Exposição da Mulher Artesã, que será realizada na sede da ONU – Organização da Nações Unidas, de 7 a 13 de setembro de 2013.
Rosinha me contou que em setembro do ano passado, recebeu em seu email, um formulário de inscrição, que entre outros dados, pedia que fosse preenchido um espaço de 10 linhas, contando a sua história de superação. “Preenchi o formulário de inscrição e contei a história da Associação e um pouco da minha, mas sem muita expectativa de ser a escolhida” – disse Rosinha. “Grande foi minha surpresa, quando em março deste ano, recebi o comunicado do SEBRAE, que eu havia sido a eleita para participar da exposição em Nova York” – complementou.
A artesã será a representante do artesanato do estado do Ceará e fará parte da comitiva com mais 14 artesãs de todo o Brasil, que também estarão no evento, representando outras regiões do país.
“Produzi uma rede exclusiva com tecido sol-a-solo e linha Camila – 100% de algodão. Ela já está em Nova York pronta para ser exposta. Uma equipe responsável pela exposição veio à Várzea Alegre para acompanhar toda a produção feita por mim” – contou. Essa rede será exposta em outros países que também receberão esta mesma exposição.
Rede exclusiva com tecido sol-a-solo e linha Camila – 100% de algodão
Rede exclusiva com tecido sol-a-solo e linha Camila – 100% de algodão
“Só achei chato a hora de tirar o passaporte lá no consulado americano, em Recife. O pessoal lá é muito antipático e exigente. Pedem muita documentação. É tudo muito burocrático. Mas, vale o sacrifício, já que é uma oportunidade de mostrar o nosso trabalho no exterior” – disse Rosinha.
Tânia Porto de Carvalho, do Sebrae Cariri, é quem vai acompanhar Rosinha na viagem. E foi ela também quem enviou o email para que a artesã varzealegrense se inscrevesse contando a sua história de vida.
Agora, Rosinha já está de malas prontas para literalmente “cair no mundo”. Ela disse estar feliz porque encontrou todo apoio necessário para esta empreitada. “O SEBRAE, a CEART e o Governo do Estado, estão patrocinando toda a despesa da viagem, pois sozinha, tudo ficaria mais difícil.”
Indaguei se a Prefeitura de Várzea Alegre estava lhe apoiando de alguma forma. “Não foi preciso. Tenho certeza que se tivesse procurado o prefeito Vanderlei Freire, ele teria me ajudado. Mas como estou recebendo toda ajuda de outros órgãos, preferi deixar para pedir o apoio da prefeitura em outra oportunidade. Assim não queimo todos os cartuchos de uma vez” – afirmou Rosinha, enquanto ria.
Resta a nós, varzealegrenses, torcer para que a nossa representante na exposição faça muito sucesso. “Eu espero conseguir agradar com o nosso produto. Tenho expectativa de que a partir deste evento, as portas se abram para nós da associação, para que possamos começar a exportar nossos produtos ao exterior. Estou muito confiante” – finalizou Rosinha Miguel, cheia de esperança.
É por isso que eu repito. Nestes tempos atuais, em que tantas mulheres com o corpo perfeito se exibem na mídia para fazer sucesso, uma mulher simples, cheia de limitações físicas, consegue romper fronteiras com seu talento, em busca de novos horizontes para si mesma e para sua comunidade.
Orgulho é o que se pode sentir. Sorte é o que se pode desejar. Imitar os seus gestos de mulher batalhadora, é o que devemos fazer.
Boa viagem, Dona Rosinha. Que Deus a abençoe e a traga de volta para nos contar como foi esta sua experiência internacional.
http://nonattoalves.com/blog/

Para aqueles que não sabem, Rosinha foi minha aluna na Educação Integrada - MOBRAL, na década de 70! Ela é uma pessoa fantástica. Ela é meu ídolo!
Desejo todo sucesso do mundo a você, Rosa-Estrela!
Artemísia

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Sinfonia da mata - Orlando Dias






Essa é para Ilana, uma jovem das antigas que se encontra nesse momento, em Várzea Alegre no coração do Ceará, curtindo uma lua cor de prata juntamente com os tios Socorrinha e Edicélio ... Se balançando numa rede lá no sítio Serrote!
Eh vida boa!

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

ESSA É PARA AMIGO LER!

Esse talvez seja antigo,
mas sempre atual...


Um jovem recém-casado estava sentado num sofá num dia quente e úmido,
bebericando chá gelado durante uma visita ao seu pai. Ao conversarem sobre a vida, o casamento, as responsabilidades da vida, as obrigações da pessoa adulta, o pai remexia pensativamente os cubos de gelo no seu copo e lançou um olhar claro e sóbrio para seu filho.
- Nunca se esqueça de seus amigos, aconselhou! Serão mais importantes na medida em que você envelhecer. Independentemente do quanto você ame sua família, os filhos que porventura venham a ter, você sempre precisará de amigos..

Lembre-se de ocasionalmente ir a lugares com eles; faça coisas com eles; telefone para eles...

Que estranho conselho! Pensou o jovem.. Acabo de ingressar no mundo dos casados. Sou adulto. Com certeza minha esposa e a família que iniciaremos serão tudo que necessito para dar sentido à minha vida!

Contudo, ele obedeceu ao pai. Manteve contato com seus amigos e anualmente aumentava o número de amigos. Na medida em que os anos se passavam, ele foi compreendendo que seu pai sabia do que falava. Na medida em que o tempo e a natureza realizam suas mudanças e mistérios sobre um homem, amigos são baluartes de sua vida.
Passados 50 anos, eis o que aprendi:

O Tempo passa.
A vida acontece.
A distância separa..
As crianças crescem.
Os empregos vão e vêm.
O amor fica mais frouxo.
As pessoas não fazem o que deveriam fazer.
O coração se rompe.
Os pais morrem.
Os colegas esquecem os favores.
As carreiras terminam.

Os filhos seguem a sua vida como você tão bem ensinou

 MAS... os verdadeiros amigos estão lá, não importa quanto tempo e quantos quilômetros estão entre vocês.

Um amigo nunca está mais distante do que o alcance de uma necessidade, torcendo por você, intervindo em seu favor e esperando você de braços abertos, abençoando sua vida!

Quando iniciamos esta aventura chamada VIDA, não sabíamos das incríveis alegrias ou tristezas que estavam adiante. Nem sabíamos o quanto precisaríamos uns dos outros.

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Casa Arrumada



  
               Casa arrumada é assim !!!
              

Casa arrumada é assim:
Um lugar organizado, limpo, com espaço livre pra circulação e uma boa entrada de luz.
Mas casa, pra mim, tem que ser casa e não um centro cirúrgico, um cenário de novela.
Tem gente que gasta muito tempo limpando, esterilizando, ajeitando os móveis, afofando as almofadas...
Não, eu prefiro viver numa casa onde eu bato o olho e percebo logo: Aqui tem vida...
Casa com vida, pra mim, é aquela em que os livros saem das prateleiras e os enfeites brincam de trocar de lugar.
Casa com vida tem fogão gasto pelo uso, pelo abuso das refeições fartas, que chamam todo mundo pra mesa da cozinha.
 Sofá sem mancha? Tapete sem fio puxado? Mesa sem marca de copo? Tá na cara que é casa sem festa.
E se o piso não tem arranhão, é porque ali ninguém dança.
Casa com vida, pra mim, tem banheiro com vapor perfumado no meio da tarde.
Tem gaveta de entulho, daquelas que a gente guarda barbante, passaporte e vela de aniversário, tudo junto...
Casa com vida é aquela em que a gente entra e se sente bem-vinda.
A que está sempre pronta pros amigos, filhos, pros netos, pros vizinhos...
E nos quartos, se possível, tem lençóis revirados por gente que brinca ou namora a qualquer hora do dia.
Casa com vida é aquela que a gente arruma pra ficar com a cara da gente.
Arrume a sua casa todos os dias...
Mas arrume de um jeito que lhe sobre tempo pra viver nela... E reconhecer nela o seu lugar.

-----------------------------------------
Carlos Drummond de Andrade (1902 - 1987)

quarta-feira, 31 de julho de 2013

Prezadas Famílias de Acolhida,


JMJ Rio2013
"Ide e fazei discípulos entre todas as nações" (Mt 28,19).


Passado este momento de graças em nossa cidade do Rio de Janeiro, não poderia deixar de agradecer profundamente a cada um de vocês pela adesão à Campanha de Hospedagem da JMJ, abrindo as portas da casa para acolher um peregrino. 
Sem o sim de vocês a JMJ Rio2013 não aconteceria. Foram 356.389 vagas de hospedagem cadastradas para 166.032 peregrinos alojados. Mérito do sim de cada um de vocês! Isto significa que muitas famílias ficaram sem receber peregrinos o que não diminuiu em nada a generosidade, disponibilidade e prontidão de cada um de vocês.
Em um primeiro momento, distribuímos os peregrinos pelas paróquias em que aconteceriam as Catequeses, de acordo com o número de oferta de vagas de hospedagem e de encontros de peregrinos com os bispos catequistas. Das 368 
paróquias que ofereceram vagas, 49 paróquias não foram contempladas com a 
presença de peregrinos, principalmente porque não tiveram catequese. Mas, 
Deus vê a intenção e com certeza olhará com carinho e benevolência para todos 
os que se comprometeram e vestiram a camisa da JMJ Rio2013. Mais que um 
visitante, com o "SIM" de cada pessoa, mesmo que não tenham havido peregrinos, Cristo, fez morada no coração aberto de cada um de vocês. E isso é o mais importante: ter a presença de Jesus em cada local que abriram suas portas 
a quem necessitava.
Aproveito, também, para pedir desculpas por todo e qualquer transtorno causado 
por mim e/ou minha equipe. Aprendemos juntos a construir a JMJ Rio2013. Foram 
166.032 peregrinos alojados em 319 paróquias graças ao sim de cada um de vocês.
Sabemos que nos próximos dias muitos ainda estarão com peregrinos nas paróquias. Algumas orientações são importantes:
  • As hospedagens seguem normalmente até o dia 31 de julho, porém, temos peregrinos que necessitam ficar alguns dias a mais por conta da disponibilidade de vôo. 
  • Aqueles que não puderem permanecer com seus peregrinos, as paróquias já estão sendo orientadas no procedimento a seguir.
  • Estamos com um setor de achados e perdidos, principalmente de documentos, no COL (Rua Benjamin Constant, 23, Glória).
Deus nos abençoe e Nossa Senhora nos conduza pela mão.
Fraternalmente em Cristo, Irmã Graça Maria, cnsb.

*********************************************************************************************************
Mensagem recebida hoje, 31 de julho de 2013!

Fomos uma Família de Acolhida e foi uma experiência maravilhosa.

sexta-feira, 28 de junho de 2013

João Guimarães Rosa



"Quando escrevo, repito o que já vivi antes.
E para estas duas vidas, um léxico só não é suficiente.
Em outras palavras, gostaria de ser um crocodilo
vivendo no rio São Francisco. Gostaria de ser
um crocodilo porque amo os grandes rios,
pois são profundos como a alma de um homem.
Na superfície são muito vivazes e claros,
mas nas profundezas são tranqüilos e escuros
como o sofrimento dos homens."

domingo, 16 de junho de 2013

Frase de Santo Inácio de Loyola


Para aqueles que crêem, nenhuma explicação é necessária; e para aqueles que não crêem, nenhuma explicação é possível.

segunda-feira, 10 de junho de 2013

Era assim, minha mãe!


Não a conheci na sua adolescência porque quando nasci ela estava com trinta e cinco anos. Mas conheci o vigor da sua jovialidade na energia com que desenvolvia suas tarefas diárias. Mulher de pulso firme, corajosa e disposição em tudo que se propunha a fazer e a fazer bem feito. Na culinária, era especialista sem nunca ter frequentado uma escola. Não havia na região quem melhor cozinhasse do que ela. Era a “Chef” em festas de casamento. Da galinha cheia às almôndegas empanadas, popularmente chamadas de bolinhas de festa. Não havia festa sem essas bolinhas de carne batida, porque não havia a facilidade do frigorífico e suas carnes moídas. Por maior que fosse a panela de arroz não saía cru ou queimado. Sua fama de boa cozinheira ia de um recanto ao outro. Em casa não confiava suas panelas a ninguém. Só ela tinha o tempero perfeito, a mão boa. O queijo de coalho ou de manteiga. O doce leite ou de gergelim. O chouriço ou o arroz doce de rapadura com amendoim. Chapéu de couro, manzape. Doce de cajarana, canjica ou pamonha. O pão de arroz ou a tapioca. Tudo era perfeito. Baião de dois com queijo ou carne de porco. O capote ou a galinha. Feijão com pão ou mungunzá com nata de coalhada e jerimum de leite vermelhinho, sem água de capa rosa. Andava léguas por uma cabaça de água pura quando a sua cacimba contraía ou se contaminava com a bendita da capa rosa que deixava o feijão com uma cor escura. Era exigente em tudo que fazia. Seu crochê era perfeito. Não era de muito abraço, mas amava a cada um dos filhos como se fossem únicos e eram. Dando-lhes a atenção conforme a necessidade. Ao mais frágil, mais carinho, ao mais forte, o seu apoio. Mulher forte, de fibra e coragem. A nadadora em dia de enchente no rio das Bravas. Seu grito ainda ecoa quando o açude ou o riacho nos chamava para o banho que se tornava ainda melhor quando nos acompanhava nas tardes ensolaradas e de águas correntes num riacho alegre onde a sombra da Oiticica dos Araçás era o balneário. A roupa lavada sabão da terra que ela mesma produzia e anil que azulava o branco. O cheiro da roupa lavada era o perfume que exalava de suas mãos mágicas. Mulher que se condoía com as mazelas dos outros. Não era alegre ou triste. Era equilibrada.  Conversava, cantava, rezava e ria. Uma novelinha no rádio. O pilão ou o moinho. Enfrentava inverno ou verão. Sonhava. Foi grande no seu silêncio, quando talvez, mais nos ensinou.  

Falar de mãe é um ato muito pessoal, cada um tem a sua visão com a qual traça o perfil de sua mãe com as características que dela concebe que se espera que sejam boas porque não se pode conceber que mãe alguma não seja boa. Quer pela força do nome ou dimensão da missão, mãe é essência, ciência e sabedoria. Mãe não se fabrica, mas se constrói na humildade e na ternura.

Artemísia

terça-feira, 4 de junho de 2013

A Grandeza do Perdão

A primeira estrofe do cordel "A Grandeza do Perdão", que o Mundim do vale deu os direitos autorais para o Memória Varzealegrense. E eu roubei para o palavraspalavras!


Caro leitor e amigoLeia o verso com atençãoPara concordar comigoNa grandeza do perdão.A minha pretensão é,Mostrar o valor da féNeste verso popular.Que seja como um presente,Pra mostrar a nossa gente O prazer de perdoar.
......




É meu amigo, Raimundinho, o mundo é assim mesmo. Roubei, tá roubado e não se fala mais nisso!
Um grande abraço e sucesso!

Artemísia e Ilana

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Vicente Almeida disse:


É...

Ela viveu 34.950 dias. Uma temporada e tanto.

Mas tinha que partir em cumprimento da lei sancionada pelo Senhor desde toda a eternidade.

Mãe, esposa, avó bisavó, amiga. Deixou uma grande lacuna, mas marcou sua passagem como uma pioneira no amor, na fraternidade.

Fez sua história, viveu seus momentos, amou, foi amada. Viveu dando de si o melhor que sabia e podia, depois partiu.

Ficamos felizes por que a Senhora deixou de sofrer, mas, ao mesmo tempo bate aquela saudade imorredoura, que traz a tona as belas lembranças do passado por tudo que representou em vida para seus familiares e amigos.

D. Edvirgens, agora a Senhora pode repousar sem sofrimentos e será mais uma estrela a brilhar sobre sua descendência.


********************************************************************************************************* Obrigada, Vicente, por sua palavra amiga neste momento de saudade...
Artemísia

terça-feira, 21 de maio de 2013

Saudade!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


Edvirgens Alves de Carvalho
    25 de agosto de 1917    -    20 de maio de 2013
  Quase 96 anos conosco!

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Somando-se mais um!




... Amor, alegria, amizade, afeto, afago, administração, beijinho, bondade, bem querer, bênção, beleza, carinho, coragem, coração, camaradagem, desejo, dádiva, dengo, dignidade, dia, esperança, ética, estilo, elo, energia, força, franqueza, fortaleza, felicidade, fecundidade, gosto, gesto, gentileza, graciosidade, honra, harmonia, humildade, humor, idílio, inteligência, igualdade, juventude, jeitinho, luta, liberdade, lealdade, mansidão, magnitude, maturidade, (nunca negar nada!), oração, ordem, organização, paixão, pureza, prazer, paz, prosperidade, qualidade, querência, quimera, realização, reviravolta, reorganização, saúde, sonho, sucesso, solidariedade, sutileza, sagacidade, teimosia, todo tempo, ternura, vontade, veracidade, vigor, vigilância, X da questão! 
Zelo...
Não há como não ser feliz, se no decorrer de uma vida o que se fez foi somar mais um positivamente!
Artemísia
6 ou 16 de maio, não importa! Somemos mais um!

domingo, 28 de abril de 2013

A IDADE DE SER FELIZ


Mário Quintana

Existe somente uma idade para a gente ser feliz, somente uma época na vida de cada pessoa em que é possível sonhar e fazer planos e ter energia bastante para realizá-los a despeito de todas as dificuldades e obstáculos.

Uma só idade para a gente se encantar com a vida e viver apaixonadamente e desfrutar tudo com toda intensidade sem medo nem culpa de sentir prazer.
Fase dourada em que a gente pode criar e recriar a vida à nossa própria imagem e semelhança e vestir-se com todas as cores e experimentar todos os sabores e entregar-se a todos os amores sem preconceito nem pudor.
Tempo de entusiasmo e coragem em que todo desafio é mais um convite à luta que a gente enfrenta com toda disposição de tentar algo NOVO, de NOVO e de NOVO, e quantas vezes for preciso.
Essa idade tão fugaz na vida da gente chama-se PRESENTE e tem a duração do instante que passa.



terça-feira, 23 de abril de 2013

Um pouco de Literatura



É na literatura que os grandes se encontram. Sabiamente em Monte Castelo encontram-se três obras literárias de épocas diferentes, mas numa junção encantadora. Ranato Russo (Legião Urbana) nos presenteia com poemas de Camões e de São Paulo em uma de suas Cartas (I Coríntios 13, 1-13). Aprecie e diga qão inteligente esse menino foi nesta proeza gostosa de se ouvir!

Um abraço carinhoso.
Artemísia

domingo, 21 de abril de 2013

Um pouco de poesia...


Amor é fogo que arde sem se ver

Amor é fogo que arde sem se ver;

É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer;

É um não querer mais que bem querer;

É solitário andar por entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É cuidar que se ganha em se perder;

É querer estar preso por vontade;

É servir a quem vence, o vencedor;
É ter com quem nos mata lealdade.

Mas como causar pode seu favor

Nos corações humanos amizade,
Se tão contrário a si é o mesmo Amor?

Luís de Camões



Para os nosso amigos visitantes, amigos da leitura!


sexta-feira, 5 de abril de 2013

Se for pra ser feliz!



              Música para ouvir, pensar e ... ser feliz, aproveitando cada minuto da sua vida!

domingo, 31 de março de 2013

Feliz Páscoa!


                                     Para quem acredita que Ressurreição é Vida Nova!

sábado, 9 de março de 2013

Vicente Almeida e suas histórias!

É, né... Pois é! Comentário do texto E não era Capim...
Vicente, gostei tanto da sua história que transpus para a página principal para que não  ficasse escondida somente num comentário. E sem a sua autorização. Obrigada por autorizá-la agora que já postei. 
Artemísia

É...

Pois é né!

Tomara que aos noventa, essas coisas não cheguem pra mim
Pois muié quando toma de conta de home
Quer mermo é que ele coma capim
No bom sentido e ainda diz que é bão pra saúde.
Vôte! também num gosto qui controlem minha comida.

Tenho uma saúde de ferro, mas aqui em casa no meu Ceará. minha cara metade enche o prato dela desses capins caseiros chamados verdura e quer fazer o mesmo comigo... E eu não gosto. Sai pra lá!

Minha pressão é ótima, coração também, não sou nervoso nem preocupado em viver além da conta. Mas um dia desses fui com ela a cidade lá encontramos um magote de moças tirando a pressão do povo lá na Praça.

Ela correu e mandou tirar a dela e aí falou: Vicente senta ali pra tirarem tua pressão.

Aí eu disse sento não, ninguém tira minha pressão...

... As enfermeiras, até bonitinhas falaram, mas seu Zé é bom para o senhor saber como está de saúde.

Aí eu disse: Deixo não. Vocês vão tirar minha pressão... e depois não vão saber botar... e vão é me deixar doente!

Artemísia: Por incrível que pareça, elas ficaram encabuladas e eu mangando delas.

Ai eu disse: Deixo não. Vocês vão tirar minha pressão... e depois não vão saber botar... e vão é me deixar doente!

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

E não era Capim Canela!



Gostaria de contar histórias contagiantes. Que emocionassem pela inocência e pela fantasia, mas a vida nos prega peças que nos surpreendem e nos tira do palco sem forças para reagir ou para “levantar, sacudir a poeira, dar a volta por cima...”.
Se você é hoje jovem, forte, saudável, viva! Viva, porque a vida é isso e ela passa tão rápido que às vezes não dá pra pegar carona no seu rabo de foguete.
Setenta e poucos anos!
É essa a sua idade. Um homem franzino por seu tamanho pequeno, mas forte, uma saúde de ferro, com disposição para pegar o boi no campo ou no campo jogar uma partida de futebol com os filhos. Come bom e come com vontade. E aí vem a queda. Sua conversa ainda recheada de bom humor. Com uma veia poética e brinca com alguns versos. Memória boa traz à tona ou à mente versos da sua adolescência. Brinca de poesias sem pretensão de ser poeta. Tudo na oralidade. Talvez para enganar aos outros que está bem. Pois sua consciência de homem da roça das Bravas ou do sertão bravo dos Inhamuns não se deixa enganar. O tombo foi feio: Somente pode comer carne branca (peixe ou frango, galinha também vale...), nada de sal, leite desnatado. Doce, somente caseiro, porém não agora.  Frutas, verduras, legumes. Pode, mas é aí que entra a minha parte nesta história. Estando eu em janeiro, de férias e em Várzea Alegre, ganho a missão de ser a sua “Chef”. Fazendo a sua comida. Preparando o cardápio conforme a recomendação da Nutricionista. Chá, biscoito, ou pão integral, arroz, caldo de feijão, legumes e verduras. Muita verdura! Para entreter suas longas horas de folga, tinha um joguinho de baralho.
Toda sexta-feira passam as moças do Riacho Verde vendendo pamonhas e manzapes, comidas doces típicas do Ceará. É uma sexta-feira, estamos no jogo quando alguém grita da calçada; “Olha as pamonhas!” e ele diz quase cantando: “vou comprar pamonha!” e eu a cuidadora de sua boca respondo: “Vai comprar, mas não vai comer!” Sua reação foi a de quem aproveita a situação para jogar na cara o que está preso na garganta, tipo o bêbado que se aproveita da sua embriaguez para falar o que lhe falta coragem: “Pois quando você botar comida pra mim acrescente no arroz e diminua o capim!” E olha que não era capim canela, nem favorito, nem roseta, nem rosado, nem capim de burro, nem dourado, era apenas couve, couve à mineira!

Com muito carinho a quem devo a vida!
Antônio Sátiro, meu irmão, lá nos sertões dos Inhamuns.

Artemísia