Palavras de amor, palavras de afeto, palavras de alegria, palavras de amizade, palavras de carinho. São tantas palavras... Palavras, palavras...


segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Voltando...

Quero agradecer a paciência e boa vontade dos queridos amigos seguidores e visitantes...  E  em especial ao colaborador Israel Batista. Senti saudades, mas estava de férias, merecidamente, claro!
Ganhamos mais dois seguidores a Rosemary e o Antonio Correia Lima, obrigada pelo carinho dos dois e sejam bem vindos com boas palavras. Um abraço.
Artemísia

DICAS NUTRICIONAIS NA MENOPAUSA


*Siga um programa alimentar com baixo teor de gordura para prevenir doenças do coração.
* Acrescente fibras na dieta, de preferência fibras solúveis.
* Pratique exercícios físicos regulares.
* Use alimentos ricos em cálcio para proteger-se da osteoporose.
* Procure usar mais soja em sua alimentação.
* Consuma peixe pelo menos três vezes na semana.
* Ingira alimentos ricos em Vitaminas E: gérmen de trigo, aveia, carnes, feijão, ervilha e pão integral são ótimas fontes.
* Use alimentos ricos em iodo.


Do livro “Comida: um santo remédio”. Ed. Vozes

domingo, 29 de janeiro de 2012

O DESPREZO DO JUMENTO


É verdade meu senhor
Que o jumento é nosso irmão
Padre Vieira falou
Mas ninguém deu atenção


Eu fiz tudo por escrito
E mostrei pro Gonzagão
Ele achou muito bonito
E gravou logo o baião
A fuga para o Egito
Do jumento nosso irmão
Que Herodes o rei maldito
Perseguidor dos cristãos
Queria matar Jesus
Por inveja e ambição
Mas veio o anjo do céu
E deu toda proteção
José, Maria e Jesus
Fugiram na escuridão
No lombo do jumentinho
Que serviu de condução
Cumprindo o que estava escrito
Se esconderam no Egito
Onde viveu Abraão


Com muito tempo depois
Jesus volta ao seu torrão
Pregando e curando o povo
Pela fé da oração
Perdoou seus inimigos
Cumpriu a sua missão
Morreu cravado na cruz
Para nos dar a salvação.


E o pobre do jumento
Ficou no esquecimento
Sem ninguém lhe dá sustento
Sem nenhuma proteção
Vez em quando um caminhão
Lhe dá uma porretada
Ele cai duro no chão
Se levanta e não diz nada
Vai passando uma porretada
Ele cai duro no chão
Se levanta e não diz nada
Vai passando uma jeguinha
Ele corre em disparada
Monta em cima da bichinha
Dá dois peidos e uma rinchada
A moça ta janela
Fica toda arrrupiada
Grita logo “chega mãe”
Vê que bela presepada!
Ela diz: “cala essa boca”
Feche os olhos e não diga nada
Deixe o pobre do jumento
Transar com sua jegue amada
Isso é coisa do destino
Ta na escritura sagrada


E o pobre do jumento
Foi feliz por um momento
Satisfez o seu intento
Fez amor do seu jeitão
Tudo agora é sofrimento
É desprezo e solidão
Vai morrer no esquecimento
Nas quebradas do sertão
Fica só no pensamento
Que o jumento é nosso irmão.


Zé Clementino.
Letra inédita 28/04/2003

sábado, 28 de janeiro de 2012

PRINCIPAIS USOS DO EUCALIPTO


*Controlador de erosão
* Quebra vento (plantio em faixas)
* Movelaria (Móveis domésticos, escritórios, escolares, industriais etc.)
* Caixas (embalagens para hortifrugranjeiros)
* Papel
* Lenha
*Carvão
*Estacas (madeira curral, cercas), com tratamento simplificado na própria fazenda.
*CONSTRUÇÃO CIVÍL ( aduelas, portas, assoalhos, forros, esquadrias, telhados etc.


NOTA: Sendo uma espécie de rápido crescimento, será capaz de proteger nossas reservas naturais.


DDF (Diretoriade Desevolvimento Florestal)

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

SÁBIA E A LARANJEIRA


Sabiá na laranjeira
Fez seu ninho pra morar
Tempos depois
Fugiu do seu lindo lar
Deixando dois filhotes
A lhe esperar
Tempos depois voltou
Vou levar meus filhotes
Para cantar junto a mim
Cantar para o nordestino
Para o Brasil! Enfim
Pois é feliz nesta vida
Que vive para cantar
Adeus! voltarei um dia pra minha linda laranjeira!!
Com seu cantar lindo e saudoso
Bateu asas para voar!!


Lídia Pinheiro de Moura


tia da Rosemary Borges Xavier

sábado, 21 de janeiro de 2012

Só chovendo


Vejo tanta chuva agora cair nesta cidade, será que lavou minha mocidade e transformou em alguma bondade?
Será que chove no Ceará?
E traga alguém feliz de lá
Será que chove na Paraíba?
E cicatrize todas as feridas
Será que chove em Rio Grande do Norte?
E possamos ter sorte
Será que chove em Alagoas?
E ouviremos o canto do sabiá numa boa
Será que chove na Bahia?
E lava as belezas das suas escadarias
Será que chove no Maranhão?
E preserve tão belo aquele chão
Será que chove em Sergipe?
E neste o povo se agite
Será que chove em Pernambuco?
E nem todos fiquem malucos

Rosemary Borges Xavier

AUTOBIOGRAFIA ELIZA GOMES CORREIA


Eliza Gomes correia – Nasci no dia 09 de janeiro de 1912 na cidade de Iguatu.
Primogênita de Ildefonso Correia Lima Primo e de Maria da Glória Gomes Correia, pais humilde, mas confortada, rodeada de carinhos de estimada por todos. Aos cinco anos incompletos, a trágica moléstia poliomielite roubou-lhe a vivacidade de criança. Consternando meus familiares. Os esforços da ciência médica não conseguiram uma cura radical.
A essas alturas já estudava as primeiras letras em minha própria residência, sendo as aulas ministradas pela minha mãezinha que exercia o magistério. O terrível mal interrompeu minhas atividades por espaço de tempo.
Aos sete anos consegui continuar meus estudos e aos doze, conclui o primário.
Ao atingir a idade de treze anos, quando já suportava as agruras da vida e conformada com os desígnios de Deus, a morte inevitável dilacerou meu coração, arrebatando minha querida mãezinha e logo após o meu extremoso pai.
A falta destes ocasiona a triste separação dos meus irmãozinhos pequenos que já viviam com meus cuidados.
A grave situação obrigou-me a distanciar de meu torrão natal, passando a enfrentar a vida de familiares e onde existisse interesse pela minha modesta profissão de ensino rudimentar.
Cheguei a Várzea Alegre no dia 18 de dezembro de 1928, aceitando um convite de um primo carnal de meu pai. Ildefonso Correia Lima, residente no sítio Panelas, onde permaneci vários anos exercendo meus limitados conhecimentos rudimentares.
No dia 05 de novembro de 1937, por iniciativa particular, fundei uma escolinha na sede denominada “Santa Inês”, que permaneceu várias décadas ativa, passiva e bem frequentada.
Com muito amor, dediquei-me ao serviço da família, dos educandos e dos amigos. Foram anos misturados de lágrimas, de alegrias, de sorrisos e de prantos.
Estas ocorrências sucederam com auxilio da divina providência e o estímulo de corações abnegados.
Duas surpresas me sensibilizaram: A conquista de uma cadeira de rodas no ano de 1962, no governo de Juscelino Kubitschek de Oliveira e o auxílio de uma verba no governo João Goulart.
No momento de minha vida cotidiana, em dados momentos, profiro estas palavras: “Jesus vos adoro, ofereço meu coração e imploro fortalecer minha fé, meu amor ao próximo, conservando minha lucidez e minha visão até os últimos momentos da vida.

Eliza Gomes Correia.


*Gente dona Eliza que já é falecida, se viva estivesse esse ano estaria fazendo cem anos, no ultimo dia 09 passado, é a terceira pessoa que por lapso ia deixando passar, primeiro foi Hamilton Correia, depois Mundinho do Sapo, esses outros muito depois me lembrei, mas ela está em tempo já que seu aniversário foi agora dia nove de janeiro. Pois é um centenário deve ser lembrado, de uma pessoa que foi tão importante pra educação varzealegrense, quantos doutores, empresários e até mais educadores também assim como ela, tiveram seus aprendizados iniciais por essa baluarte de nossa educação. Várzea Alegre já lhe prestou-lhe uma homenagem quando lhe homenageou com um nome de escola que é a que funciona a APAE do município. Parabéns a Várzea Alegre que pode contar com essa baluarte de nossa educação. Parabéns aos familiares dessa nossa dama da educação.

Israel Batista

CHÁS DE FRUTAS


CEREJA

Dores reumáticas

Ingredientes:

4 Cerejas frescas
2 Xícaras (chá) de água

Modo de Preparo

Retire os caroços das cerejas e amasse as frutas com um garfo. Coloque em uma panela, acrescente a água e ferva por 5 minutos. Espere amornar, coe e tome 1 xícara (chá) a cada 10 horas.

*Gente aqui se encerra a série de chás de frutas, espero que vocês tenham gostado e breve retornarei com uma nova série

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

CHÁS DE FRUTAS


MAÇÃ
ANTI-INFLAMATÓRIO
Ingredientes:
½ maçã picada com casca e sem sementes
1 Xícara (chá) de água
Modo de Preparo
Leve ao fogo a maçã e a água e deixe por 3 minutos após começar a ferver. Desligue o fogo e espere amornar. Beba em seguida, comendo a maçã se quiser.

RECADO AO REI DO BAIÃO


TUDO A ESMO

LUIZ GONZAGA,
REVIRANDO O SEU LEGADO
E REMOENDO O MEU PASSADO
NUNCA VI COISA MELHOR
MAS SEU LUIZ,
AQUI PRA NOSSA TRISTEZA
SAIBA QUE EM FORTALEZA
MODIFICARAM O FORRÓ.


ATÉ QUEM NUNCA CANTOU
JÁ DA UMA DE ARTISTA
JÁ VI MUITO TECLADISTA
BRILHAR NA TELEVISÃO
COM BAILARINAS
E ATÉ JOGO DE LUZ
PADRE NOSSO.....CREDO CRUZ
MAS NÃO CANTAM TEU BAIÃO


NESSE FORRÓ DO MANÉ
JÁ MUDARAM QUASE TUDO
SANFONEIRO FICOU MUDO
E DESNUDARAM A MULHER
O ZABUMBEIRO É FIGURA DO PASSADO
O TRIANGULO ABANDONADO
E O PANDEIRO NINGUÉM QUER
A CONCERTINA,VEJA SÓ COMO É QUE PODE
O FAMOSO PÉ DE BODE
NINGUÉM SABE O QUE QUE É


DE SUAS COISAS
SÓ SE SALVOU A SANFONA
MAS NÃO BRILHA COMO A DONA
DOS ACORDES DO BAIÃO
NÃO FALA ROUCO BAIXINHO AO CORAÇÃO
SE FALA DIZ MUITO POUCO
PRAS MENINAS DO SERTÃO
NÃO FALA SÉRIO NEM DAR CARÃO O GOVERNO
ELES FALAM TUDO A ESMO
E MUITA ESCULHAMBAÇÃO.


Tibúrcio Bezerra

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

CHÁS DE FRUTAS


MORANGO

Azia

Ingredientes:

2 Morangos frescos
1 e 1/2 Xícara (chá) de água

Modo de Preparo

Amasse os morangos com um garfo e coloque em uma panela. Adicione a água e leve ao fogo por 5 minutos. Espere amornar, coe e tome quando estiver com azia.

PARA REFLETIR


Saiba dominar-se
E vencer-se a sim mesmo.
Vitorioso não é aquele que vence os outros,
Mas o que vence a si mesmo,
Dominando seus vícios
E superando seu defeitos.
A vitória sobre si mesmo é muito difícil,
E quem consegue isto pode se classificado
Como verdadeiro herói.
Aprenda a domina-se ,
E jamais desanime.
Se desta vez não conseguiu;
RECOMECE
E um dia sairá VITORIOSO.

Autor Desconhecido.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Dia Internacional do Riso, 18 de Janeiro


Vamos nos preparar para comemorar com muitas gargalhadas em 18 de Janeiro 2012, o Dia Internacional do Riso, celebrado pela primeira vez no Brasil em 2009, quando do lançamento do livro “Sorria, você está sendo curado”, em 2010 com a veiculação do Programa de TV web “Sorria e Tenha um Bom Dia”, em 2011 com a inauguração do Espaço do Riso e agora em 2012 com o lançamento do Palestrante do Bom Humor, Marcelo Pinto.
É isso mesmo, são todas iniciativas do advogado trabalhista sindical e defensor do Riso, Marcelo Pinto, conhecido como Doutor Risadinha, que tem como missão de vida, propagar os benefícios que o Riso e Bom Humor nos proporciona na saúde, na empresa, na escola, no amor, enfim, em várias situações do nosso dia a dia.
“Eu acredito que esta data é mágica, pois nos lembra de definir uma atitude positiva, otimista e bem humorada para o ano inteiro, obtendo com isso mais saúde, paz, amor e diversão”, destaca o Doutor Risadinha.
Ele aproveita para destacar os benefícios do Riso e do Bom Humor para a saúde e desenvolvimento:
Das pessoas:
Melhorando o sistema imunológico
Fortalecendo os músculos cardíacos
Aumentado a oxigenação do corpo e em especial do cérebro
Facilitando o trabalho em equipe
Fortalecendo os relacionamentos
Aumentando a quantidade de endorfina e serotonina, que proporcionam bem estar, leveza e amenizam o estresse
E das empresas:
Aumentando a produtividade
Reduzindo o absenteísmo e presenteísmo
Amenizando os conflitos internos
Beneficiando a imagem perante clientes e fornecedores
Melhorando o clima organizacional
Ajudando na retenção dos talentos
Para maiores informações visite o site www.palestrantedobomhumor.com.br ou contate o Doutor Risadinha através do e-mail marcelopinto@doutorrisadinha.com ouespacodoriso@gmail.com e visite seu Blog Espaço do Riso http://doutorrisadinha.blogspot.com que foi pelo segundo ano consecutivo eleito um dos 100 blogs mais visitados em 2011.
Marcelo Pinto, além de palestrante motivacional, é também gelotólogo desde 2000, fundador do Clube da Gargalhada de São Paulo, consultor para inserção do Riso e da Descontração no ambiente de trabalho, palestrante e líder da gargalhada certificado pelo Clube da Gargalhada do Brasil, pela Escola do Riso de Portugal e pela Diverrisa da Espanha.

Escritor por Dr. Marcelo Pinto (Dr. Risadinha)

Advogado Trabalhista Sindical militante e Palestrante, Graduado e Pós-Graduado pela Faculdade de Direito da Universidade Mackenzie. Sócio Proprietário da KRH Recursos Humanos Ltda., com 28 anos de experiência em empresas multinacionais nos cargos de gestão nas áreas Jurídica Trabalhista, Sindical, Recursos Humanos, Relações com Empregados e Ombudsman Interno.

EU AMO


Eu amo incondicionalmente
Eu amo pois nasci para amar
Eu amo a minha vida
Eu amo o seu jeito de amar
Eu amo teu sorriso lindo
Eu amo a sua maneira de olhar
Eu amo a tua felicidade no rosto
Eu amo tudo que você me diz
Eu amo, puxa como eu amo!
Eu amo amar você
Eu amo tudo na vida
Eu amo essa vida sofrida
Eu amo tudo que lembra você
Eu amo sonhar contigo
De tudo nessa vida
Que aprendi e não posso negar
E que descobri e posso afirmar
Eu amo você somente você.

Israel Batista

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

E VOCÊ?


Você é mudo, meu irmão? Você não pode falar porque nunca ouviu e não tem o que repetir? O que repetir como seu?
Você tem tempo para isso? Tem tempo para ser humano?
Ou você virou ídolo morto?
Você celebra o diálogo? Ou conseguiu a proeza de se fixar no tempo?
Não pense que isso é possível. Pelo menos para quem está vivo. Abra os olhos e os ouvidos e estenda os braços para acolher os outros.
Ele é muito diferente. Sim, é claro. Ele é o outro.

José Carlos Pedroso
Do seu livro “Viver o amor.”

CHÁS DE FRUTAS


CASCAS DE UVA

Antienvelhecimento

Ingredientes:

1 Litro de água
1 Xícara (chá) de cascas de uva roxa
1 Colher (sopa) de gengibre fresco picado
4 Colheres (sopa) de mel

Modo de Preparo

Coloque a água e as cascas de uva em uma panela e leve ao fogo por 10 minutos. Desligue o fogo e misture o gengibre. Tampe e deixe por 5 minutos. Coe, misture o mel e tome 1 xícara (chá) 4 vezes por dia.

Contraindicações: o gengibre não deve ser consumido em casos de de gastrite e sudorese excessiva.

fonte: "O poder dos chás."

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

O QUE É DIREITO AUTORAL?


Direito Autoral é um conjunto de prerrogativas conferidas por lei à pessoa física ou jurídica criadora da obra intelectual, para que ela possa gozar dos benefícios morais e intelectuais resultantes da exploração de suas criações.
O Direito Autoral está regulamentado por um conjunto de normas jurídicas que visa proteger as relações entre o criador e a utilização de obras artísticas, literárias ou científicas. Compreende os direitos de autor e os direitos que lhes são conexos, sendo disciplinados em nível nacional e internacional.
Na esfera internacional destaca-se, basicamente, o sistema unionista instituído pela convenção de Roma. Os países integrantes desses tratados internacionais se uniram para traçar metas e disciplinar a defesa do direito de autor e dos direitos conexos, editando normas de aplicação internacional, que, atualmente são reconhecidas e aplicadas pelo governo brasileiro.
O Brasil está obrigado a garantir uma proteção efetiva e eficaz aos direitos de autor, devendo impedir qualquer utilização não autorizada das obras intelectuais protegidas. O país também é signatário de outros tratados internacionais versando sobre a proteção dos direitos autorais e conexos, dentre eles, os tratados de Genebra, Washington e Buenos Aires.

Fonte: Ministério da cultura

BREVE NOTA




É importante caminhar
Mas é muito mais saber para onde.
É importante enxergar
Mas é muito mais saber para que.
É importante falar
Mas é muito mais saber como.
É importante escutar
as é muito mais saber discernir.
É importante vencer
Mas é muito mais saber estender as mãos a quem perdeu.
É importante viver
Mas é muito mais saber conviver.

Tudo que for bom é importante, mas para Deus o que mais importa é que sejas realmente bom.

Albino Teixeira

CHÁS DE FRUTAS


CASCAS DE ROMÃ

Colesterol Ruim

Ingredientes:

1 Colher (sopa) de cascas frescas de romã
1/2 Litro de água
1 Colher (sopa) de mel

Modo de Preparo

Coloque a casca de romã e a água em uma panela e leve ao fogo para ferver por 5 minutos. Coe e espere amornar. Misture o mel e tome 2 xícaras (chá) por dia.

Fonte: "O poder dos chás."

domingo, 15 de janeiro de 2012

CHÁS DE FRUTAS


Folhas de Maracujá

Insônia

Ingredientes:

1 Folha fresca de maracujá picada
1 Xícara (chá) de água fervente
1/2 Colher (sopa) de mel

Modo de Preparo

Em uma xícara (chá) vazia, coloque a folha de maracujá picada. Despeje a água fervente por cima, tampe com um pires e deixe abafado por 5 minutos. Retire o pires com cuidado para não se queimar. Coe o chá, misture o mel e tome 30 minutos antes de se deitar.


Ansiedade

Ingredientes:

1/2 Litro de água
1 Colher (sopa) de folhas frescas de maracujá picadas.
1 Colher (sopa) de folhas e flores secas de camomila
3 Colheres (sopa) de mel.

Modo de Preparo

Leve a água ao fogo e deixe até começar a ferver. Desligue o fogo e acrescente as folhas de maracujá e a camomila. Deixe abafado por 10 minutos. Coe, misture o mel e beba 1 copo (250 ml) a cada 12 horas.

Contraindicação: A camomila pode causar náuseas se consumida em doses acima das recomendas.

Fonte "O poder dos Chás."

sábado, 14 de janeiro de 2012

CHÁS DE FRUTAS


FOLHAS E CASCAS DE LARANJA
FALTA DE DISPOSIÇÃO
Ingredientes:
1 Colher (sopa) de cascas picadas de laranja
½ Litro de água
2 Colheres (sopa) de mel
Modo de Preparo
Coloquem, em uma panela, as cascas de laranja e a água. Leve ao fogo até começar a ferver. Desligue o fogo, tampe e deixe abafado por 3 minutos. Coe e tome 1 copo (250 ml) a cada 6 horas, acrescentando 2 colheres (sopa) de mel a cada copo.
INDIGESTÃO
Ingredientes:
1 Xícara (chá) de água
1 Colher (café) de cascas picadas de laranja
1 Colher (sopa) de mel
Modo de Preparo
Ferva a água e adicione as cascas de laranja. Abafe por 5 minutos e coe. Misture o mel e beba após as principais refeições (almoço e jantar).
Fonte “O poder dos chás

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

A Eficácia do Riso


O riso pode apresentar um aspecto físico, cognitivo e emocional.

Ao escutar uma piada, daquelas que nos fazem disparar a rir, são produzidos na boca uma série de sons vocálicos que duram de 1/16 segundos e repetem a cada 1/15 segundo. Enquanto os sons são emitidos, o ar sai dos pulmões a mais de 100 Km/h.

Uma gargalhada provoca aceleração dos batimentos cardíacos, elevação da pressão arterial e dilatação das pupilas.

Os adultos riem em média 20 vezes por dia, e as crianças até dez vezes mais. Rir é um aspecto tão inerente à existência humana que esquecemos como são interessantes esses ataques repentinos de alegria.

Por que as pessoas riem quando escutam uma piada? Segundo o escritor húngaro Arthur Kostler (1905-1983), o riso é um reflexo de luxo, que não possui utilidade biológica.

Entretanto a Natureza não investe em algo inútil, acredita-se que o impulso de rir possa ter contribuído para a sobrevivência no decurso da evolução.

A gelotologia que pesquisa sobre o riso, aponta que esta é a mais antiga forma de comunicação.

Os centros da linguagem estão situados no córtex mais recente, e o riso origina-se de uma parte mais antiga do cérebro, responsável pelas emoções como o medo e a alegria. Razão pela qual o riso escapa ao controle consciente. Não se pode dar uma boa gargalhada atendendo a um comando, muito menos é possível reprimi-la.

O riso pode apresentar um aspecto físico, cognitivo e emocional. Acontecimento este que não reduz o senso de humor a uma única região do cérebro.

Rir, achar algo engraçado, é um processo complexo, que requer várias etapas do pensamento.

Patrícia Lopes
Equipe Brasil Escola ­

CHÁS DE FRUTAS


Folhas de Goiaba

Dor de Garganta

Ingredientes:

1/2 Litros de água
6 Folhas de goiabeira
2 Colheres (sopa) de mel
1 Colher (café) de sal

Modo de Preparo

Em uma panela, ferva a água. Adicione as folhas de goiabeira, retire do fogo e deixe abafado por 3 minutos. Coe e misture o mel e o sal. Com o chá levemente quente, faça gargarejos a cada 4 horas.

Diarreia
(causada por intoxicação alimentar)

Ingredientes:

1 Colher (chá) de folhas frescas de goiabeiras picadas
1 Xícara (chá) de água fervente
1 Colher (sopa) de mel

Modo de Preparo

Em uma xícara (chá) vazia, coloque as folhas de goiabeira. Despeje a água fervente por cima, tampe e deixe abafado por 10 minutos. Coe, misture o mel e tome.

Dicas de higienização

As folhas e cascas de frutas podem atrair um grande número de fungos e parasitas. Por isso, antes de preparar as receitas caseiras, lave bem o que for utilizar, de preferência deixando de molho em um pouco de vinagre e esfregando com uma escovinha. Em seguida enxágue, seque com papel-toalha e faça as receitas de acordo com as quantidades e o modo de preparo recomendados.

Fonte "O poder dos chás"

Mouse: Uma Breve História


Para você chegar até este texto, certamente foram necessários alguns cliques no mouse, certo? Pois é, o mouse é hoje um dos dispositivos mais importantes no mundo da informática. Sem ele, navegar na Internet e fazer outras tarefas básicas seria algo, no mínimo, nada prático.

O que muitos não sabem é que o mouse não é tão velho assim. Embora alguns digam que o inventor do dispositivo foi Bill English, foi Douglas Englebart, um pesquisador da Universidade de Standford, que patenteou a invenção em 1970. A mesma foi batizada como “XY Position Indicator For A Display System”. O mouse era constituído por uma caixa de madeira relativamente grande, com apenas um botão. Nesta época, o dispositivo foi pouco difundido, justamente em razão da falta de necessidade, já que praticamente todos os computadores utilizavam apenas comandos por texto

O mouse ganhou uma maior popularidade a partir de 1984, ano em que a Apple introduziu o uso do dispositivo em seu computador, o Macintosh. Mesmo assim, Douglas Englebart preferiu vender a patente do mouse por 10 mil dólares alguns anos depois, quantia que seria facilmente superada se o pesquisador houvesse mantido a patente

O uso dos mouses só se tornou mais concreto a partir da criação do Windows, da Microsoft, uma vez que a empresa já estudava conceitos de interface gráfica. Desta forma, navegar na Internet, por exemplo, se tornaria algo praticamente impossível sem o uso da ferramenta.

Fonte da internet

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

CHÁS DE FRUTAS


A parti de agora vou postar alguns chás de frutas, são receitas poderosas feitas com folhas, cascas e polpas. Além das ervas e plantas, as frutas também podem ser utilizadas no preparo de chás que beneficiam a saúde e previnem doenças. Selecionamos algumas receitas especiais para você usufruir de tudo o que a natureza pode oferecer. Para começar aí vai a primeira receita:

FOLHAS DE ABACATES

Tosse

Ingredientes:

1 copo (250ml) de água
1 folha seca de abacateiro
2 colheres (sopa) de mel

Modo de Preparo

Em uma panela, coloque a água e leve ao fogo até começar a ferver. Acrescente a folha de abacateiro limpa e picada, desligue o fogo e deixe abafado por 5 minutos. Coe, misture o mel e tome aos poucos, antes de dormir.

Cálculo Renal

Ingredientes:

1 Colher (sopa) de folhas secas de abacateiro
2 copos (200ml cada) de água fervente

Modo de Preparo

Pique as folhas de abacateiro com as mãos e coloque em uma tigela. Despeje a água fervente por cima, tampe e deixe por 10 minutos. Espere amornar e coe. Beba 1 xícara (chá) a cada 8 horas.

Enxaqueca

Ingredientes:

1 Litro de água
5 Folhas secas de abacateiros

Modo de preparo

Ferva a água com as folhas de abacateiro picadas durante 5 minutos. Retire do fogo e espere amornar. Umedeça um pano limpo e faça compressa sobre a região da cabeça que estiver doendo. Deixe até o pano esfriar e molhe novamente no chá morno. Repita por 30 minutos.
Dica: escolha um local com pouca luminosidade e sem barulho para fazer essa compressa.

Fonte O poder dos chás

QUATRO TIRADENTES BAIANOS


Conhecemos de sobra o famoso Joaquim José da Silva Xavier, o nosso “Tiradentes”, herói da Inconfidência Mineira. Lutou pela liberdade política do Brasil. Foi enforcado pra servir de lição e assombrar o mundo. Seu martírio ainda hoje é exaltado quando devemos falar sobre a liberdade de ação do povo brasileiro. Há outros quatro libertadores na Bahia que lutaram pelos mesmos objetivos do Tiradentes: Lucas Dantas, Luiz Gonzaga das Virgens, João de Deus Nascimento e Manuel Faustino. Enfrentaram as forças antagônicas nos moldes como enfrentou Joaquim José. Copiaram as idéias e as defenderam com unhas e dentes, segundo o exemplo no nosso libertador famoso. Igualaram-se nas lutas e conquistas morais na sociedade baiana. Batalharam em favor dos mesmos princípios de liberdade defendidos pelo conspirador mineiro. Foi em agosto de 1798 que esses revolucionários baianos chamaram o povo à luta com um manifesto, colado nas portas das muitas igrejas de Salvador: “Está para chegar o tempo em que todos seremos irmãos e o tempo em que todos seremos iguais.” A prisão destes tidos como revolucionários chegou primeiro. Foram presos 49 lideres. Líderes negros, soldados e alfaiates, considerados como mártires da independência, como seu irmão Joaquim José da Silva Xavier. A eles, lá e cá prestamos nossas homenagens libertárias pela passagem do Sete de Setembro: Dia da Independência.
Chico Alencar
Rio de Janeiro/RJ

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

ORAÇÃO DO BURRO


PAI, TENHA MISERICÓRDIA DE MIM,
SÓ POR NÃO TER O PRIVILÉGIO DOS SERES HUMANOS
DE NÃO TER CAPACIDADE DE APREDER LER E ESCREVER,
APRENDER INFORMÁTICA E COMPUTAÇÃO,
OU FAZER UMA FACULDADE,
SOU OBRIGADO A TRABALHAR FEITO UM BURRO,
QUE É EXATAMENTE O QUE SOU!
DÊ-ME UM TRABALHO DIGNO, UMA MORADIA DE MIM MERECIDA,
UM PATRÃO LEGAL, QUE NÃO ME BATA NAS COSTAS QUANDO
ELE TEM PRESSA, DÊ-ME UMA PATROA QUE SAIBA RECONHECER
MEU SERVIÇO, DANDO-ME BOM ALIMENTO PARA QUE EU POSSA
SERVI-LA BEM, E COM GOSTO!
SENHOR, NÃO QUERO MAIS LEVAR CHIBATADAS NAS COSTAS
É MUITO DOLORIDO, E PASSO DIAS DE MAU HUMOR, E ISSO
NÃO É O DOM DOS BURROS.
SE SENHOR ESTIVER ME OUVINDO, AUJDE-ME, POR FAVOR.
CASO CONTRÁRIO, SEREI OBRIGADO A ME CANDIDATAR A PRESIDENTE!
AMÉM!


Kátia Susana Perujo

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

ORAÇÃO PELOS MISSIONÁRIOS


A igreja é essencialmente missionária. Cristo foi o enviado do pai para trazer aos homens a boa nova do reino. Jesus confiou aos apóstolos a missão de irem pregar pelo mundo a mensagem da salvação. Que a igreja de hoje continue fiel à ordem do mestre: "Ide e pregai o evangelho a toda criatura". Abençoai senhor, o trabalho dos missionários.
Senhor, que cresça sempre mais o espírito missionário na igreja. E em todo mundo seja ouvida a boa-nova da salvação. Que em nossa pátria, o projeto das igrejas irmãs seja expressão viva, do espírito missionário de nossa igreja.

Oração Franciscana

Do livro "DEVOCIONÁRIO DA FAMÍLIA FRANCISCANA. Pg 339 de coordenação do Frei Alberto Beckhäuser, OFM e da Irmã Edi Nicolao, Franc. N. Srª Aparecida.

INTELIGÊNCIA ESPIRITUAL


Nos grandes temas da educação já se falou de tudo; e agora é o momento de se refletir sobre a inteligência espiritual, isto é, conhecer o Ser que nos faz ser. Escola também existe pra estimular a nossa busca interior. Deus está onde está alguém ensinando e aprendendo. Na escola alunos e alunas passam a maior parte do seu dia. Por que não encontrar um tempo forte para falar do divino da hora, da meditação, da prece, do recolhimento, dos textos sagrados? Fazer ressurgir em cada coração a função do templo: dar um passo na direção do Espírito e Deus vai cobrir com seu Amor. Dar um passo na direção da interioridade do outro e da outra e a humanidade vai se cobrir de amor!

Frei Vitório Mazzuco, OFM
São Paulo/SP

EU QUERIA SER


EU QUERIA SER
UMA ABELHA ERRANTE
PARA UM VÔO RAZANTE
NA JANELA DELA


EU QUERIA SER
UM VENTINHO BRANDO
PRA DE VEZ EM QUANDO
EU BULIR COM ELA


EU QUERIA SER
A MACIEZ DA ROSA
O VERSO E A PROSA
PROS SUSPIROS DELA


EU QUERIA SER
UMA VOZ MACIA
PARA TODO DIA
COCHICHAR COM ELA


EU QUERIA SER
COMO A NATUREZA
CHEIO DE BELEZA
PROS ENCANTOS DELA


EU QUERIA TER
O PODER DE DEUS
PARA OS SONHOS MEUS
SEREM SÓ COM ELA.

Tibúrcio Bezerra

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Pensamento do Dia




Não gosto de aplaudir a tristeza. Mesmo sabendo que muitas vezes, ela nos faz companhia, quer queiramos ou não. Insisto, teimo, corro atrás da alegria, porque não concebo a vida sem ela.Caso saibamos utilizar a tristeza a nosso favor, iremos tirar disso ai, o lucro do crescimento, da motivação, do vencer as lástimas e os dissabores da existência. A vida tem condições de ultrapassar a "desalegria", porque existe o verde, o ar, a magia do sorriso... O doce e incrível dom de viver.

domingo, 8 de janeiro de 2012

AS ALPARGATAS


Alguns fins de semana, eu me encontrava como cozinheiro e assim eu fiquei sendo chamado por ele o cozinheiro. No mês de agosto de 1945, mês de festa do nosso padroeiro em um dia de sábado eu recebi dinheiro e autorização para vir à cidade e comprar um par de alpargatas (apragatas como chamávamos).
Vim a cavalo, meu cavalo muito tropeiro, comprei as alpargatas muito bonitas, feitas com pele de jacaré (eu que pensava assim, amarrei as mesmas nas correias da cela e retornei para casa. No meio do caminho entre a cidade e nossa casa, morava o nosso avô materno e era uma obrigação, tanto na ida como na volta, passarmos na casa de nosso avô. Assim o fiz, parei o cavalo, desci, amarrei o mesmo em pé de imburana e entrei para cumprimentar os avós e os tios. Tomando a bênção a todos, voltei para continuar a viagem, morto de feliz com as alpargatas. Encontrei meu tio Joaquim perto do cavalo e foi logo dizendo:
- Meu sobrinho, porque você só comprou uma alpargatas?
Eu respondi:
- A outra está do outro lado.
Tio Joaquim respondeu:
- Não meu filho, só há um alpargatas.
Eu aproximei do cavalo e verifiquei que só havia uma alpargata. Inicialmente pensei que era meu tio com brincadeira, porém logo percebi que havia perdido uma alpargata. Montei no cavalo, voltei até a cidade, perguntando a todos que encontrava se não haviam achado a alpargata e a resposta foi sempre a mesma: Não. Retornei para casa muito descontente. Em casa, meus pais tentaram me convencer que poderia comprar outras alpargatas, porém eu não me conformava. Passei o resto do dia triste, pois ao perder uma alpargata bonita como aquela não dava para me contentar.
À tardinha do mesmo sábado, sai de casa para dar água a meus animais, neste intervalo, chega Joaquim Batista e entre uma conversa e outra perguntou pelo cozinheiro e meu pai informou-lhe que tinha saído para dar águas a uns porcos, porém acrescentou que eu estava muito perturbado, pois havia ido a cidade comprar umas alpargatas e havia perdido uma no caminho. Joaquim Batista ouvindo esta afirmativa, dirigiu-se para sua carona e retirou uma alpargatas e disse para o nosso pai:
- Eu achei uma alpargatas, será que é esta a dele?
Nosso pai conferiu a outra e disse:
- É compadre.
Porém, minutos depois eu fui chegando e nosso irmão Elizeu gritou em voz alta:
- Pedro, Joaquim Batista achou tua alpargata!
Foi uma alegria grande quando vi que era verdade, minha alpargata tinha sido encontrada e no mesmo momento eu pensei comigo mesmo: "como é bom ser cozinheiro". Terminei meu curso médico, vim para Várzea Alegre e Joaquim Batista durante quinze anos que ainda viveu não pagou uma consulta médica para si, nem para sua esposa e seus filhos. Isto é que é gratidão e reconhecimento.

Doutor Pedro Sátiro

do seu livro "Minha vida Minha história"

*Ilustração do google

sábado, 7 de janeiro de 2012

SE QUERES


Se queres descobrir o amor em teu ser, primeiro observa o nascimento das flores sobre as pedras, o nascimento da borboleta em seu casulo tão limitado...Observa o sol nascendo e iluminando o que há pouco era só escuridão.
Se queres conhecer o amor, observa o movimento gracioso do vento entre as flores e vê as sementes sendo lançadas para outros solos, transformando-os, delicadamente, sem pressa. Observa a generosidade com que a natureza te acolhe, mostrando com seus movimentos a importância de te sentires como ela se sente.
Se queres compartilhar o amor, apenas estende tua intenção e ela chegará ao mundo e a ti retornará, trazendo-te as bênçãos de Deus que sorri com a tua conduta.
Se queres prosseguir com amor, procura viver de acordo com as virtudes que te foram dadas por Deus...
Se queres sentir o verdadeiro amor, entrega-te por completo nas mãos de Jesus e verás o milagre da vida acontecer em ti.

Contado por Padre Marcelo Rossi
Em seu livro "Momentos de Fé" página 32

POETA E POESIA


Na sua confusão interior
O poeta procura se encontrar
Construindo com palavras
Algo que o mundo desprezou


As letras escritas de sangue
Plasmam seu QI de sofrimento
O papel sorrir simiesco
Da sofreguidão vazia
Do pensador


A frase só fala para ele
Em lições de desdém e conselhos
O poeta reler contrafeito
Riscando a palavra crueldade


O lápis se mantém suado
Por entre os dedos gelados
O poeta rabisca a vida
Vendo-se num espelho de estragos.


José Cícero

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Dia de Reis


O Dia de Reis, segundo a tradição cristã, seria aquele em que Jesus Cristo recém-nascido recebera a visita de "alguns magos do Oriente" que, segundo o hagiológio, foram três Reis Magos, e que ocorrera no dia 6 de janeiro. A noite do dia 5 de janeiro e madrugada do dia 6 é conhecida como "Noite de Reis".

Histórico

A data marca, para os católicos, o dia para a veneração aos Reis Magos, que a tradição surgida no século VIII converteu nos santos Belchior, Gaspar e Baltazar. Nesta data, ainda, encerram-se para os católicos os festejos natalícios - sendo o dia em que são desarmados os presépios e por conseguinte são retirados todos os enfeites natalícios.

Tradições

Em alguns países, como Espanha, é estimulada entre as crianças a tradição de se deixar sapatos na janela com capim (erva) antes de dormir para que os camelos dos Reis Magos possam se alimentar e retomar viagem. Em troca os Reis magos deixariam doces que as crianças encontram no lugar do capim após acordar. A tradição também consiste em comer Bolo-Rei, no interior do qual se encontra uma fava e um brinde escondidos. A pessoa que encontra a fava deve "pagar" o Bolo-Rei no ano seguinte. Em frança (agora também noutros paises) come-se "Galette des rois" onde também encontram um brinde no seu interior, a galette também costuma trazer uma coroa, quem encontrar o brinde será rei e será coroado. Em Portugal e também em outros paises as pessoas que moram em pequenas terras costumam ir cantar os reis de porta em porta, as pessoas dão-lhes doces, salgados etc... No Brasil esta tradição é comemorada com festas onde é servido doces e comidas típicas das regiões. Há ainda festivais com Companhias de Reis (grupo de músicos e dançarinos) que cantam músicas referentes ao evento.

*Fonte Wikipédia

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

ZANGA DE VELHO


Quando eles se casaram, no ardor dos seus 20 e 18 anos (ele e ela), o mundo lhes parecia azul como viu Armstrong lá das alturas. Se não era assim, era melhor: - azul com umas bolinhas douradas! casamento "de gosto" de ambas as famílias, foi festa para durar três dias. Perus, capotes, capões cevados, um capado e mais vinte galinhas deram suas vidas, em holocaustos ao grande acontecimento, por todo esse tempo, a concertina, os pífanos, o zabumba, o triângulo, a rebeca e outros bichos de fazer zoada encheram de samba e de festa a casa do pai da feliz noiva ou do pai do venturoso noivo, alternadamente. Ninguém sabe quanto foi consumido de vinho de jurubeba, licor de jenipapo e branquinha de acarape. Foi coisa pra ficar na história e por anos ser comentada.
Quem me contou o "causo" foi vovô Acelino e, mesmo fato passado, há quase um século, omito os nomes dos personagens para evitar que algum deles - ou seus descendentes - me venha puxar as orelhas. Basta que os chame de Félix e Aninha. Casados e de mãos dadas, naquele juramento que uniria até a morte, foram para o seu novo ninho, na Aba da Serra. Aninha herdara da mãe aquele gosto pelas coisas da , a dedicação ao jovem marido, o cuidado e zelo das vaidosas jovens-senhoras. Ao redor da morada, o terreiro limpo bem ciscado, um banquinho de pedra, uns canteiros de margaridas, uns pés de jasmim que subiam pelas pilastras do alpendre. Dentro, umas combucas, uns "cacos" onde vicejavam essas plantinhas dengosinhas, mimosas, que mais gostam dos ambientes sombrios. Félix, por sua vez, um mouro nos trabalhos das roças, se desdobrava em atenções e afeto à sua companheira. Leal e ativo, bravo e lutador, enchia os campos com o seu labor e sementes e os paióis da casa do que necessário fosse.
Nessa harmonia, neste mútuo e enlevado entendimento, foi a casa, também, enchendo-se de filhos. Ano após ano, surgiam novos rebentos, novas flores despontavam. Entre as roseiras e cravos, ali plantados, parecia, também, plantada a árvore da ventura. A todos enchia de inveja o congraçamento e tão forte era a união de toda aquela gente. Como eram felizes, diziam todos! O tempo, o implacável marcador de rugas e cabelos brancos, foi chegando de mansinho e deixando seus traços naquele casal que partira, um dia colocando seus sonhos acima das estrelas. E, com as rugas... coisa de nome parecido: - as "rusgas!" Pequenos desentendimentos, ligeiros bate-bocas, os chamados amuos... A velhice (que não falta aos que não morrem jovens!) foi chegando e, com ela, a irritação, os gestos neurastênicos. "Nada mais infeliz que uma velhice intranquila, sem sossego, sem paz", disse com muita senectude sem rumo, sem segurança. Não fugindo à regra geral, o nosso jovem Félix passou a ser chamado o velho Félix da Aba da Serra.
Já passava dos setenta e lá vai pedra... quando as medidas se lhe encheram da noite para o dia, saiu de casa, sem bilhete, sem recado e desapareceu. Cadê ele? O que foi que houve? todos se perguntavam e a resposta era o clássico "ninguém sabe!" A família toda, como natural, se encheu de apreensão e tristeza. Fez buscas, tentativas para encontrá-lo, mas, tudo em vão. Aninha - agora - a velha Ana - mulher de capricho e fibra, foi se conformando e esquecendo, coisa no que o tempo ajuda. Ingratidão, desamor, caduquice... cada um dava ao episódio sua classificação - pedida, ou não! O certo é que, por muito tempo, não se teve mais notícia do fugitivo. O velho resolutamente, arrumara a maca e a caíra nos "bredos".
Um dia, porém, (há sempre um dia, nessas histórias!) conversa-vai-conversa-vem, descobriram que o "exilado" tava morando em Amarante, no Piauí. Será verdade perguntavam todos, e a família se reuniu "em sessão plena", resolvendo tirar a coisa a limpo. Um "positivo", emissário de confiança, foi mandado às plagas piauiense. Você pensa foi fácil, messo numa cidade pequena, descobrir o paradeiro velho Félix? Mas, nosso investigador tinha tino de Sherlock o faro desses cães policiais de busca. Ninguém dava notícias do tal procurado. Andou, virou, mexeu, escavacou, sem perder a esperança de encontrá-lo. Na feira, por acaso, viu um menino vendendo uns "tabaqueiros", que eram a "marca registrada" do velho. De mansinho, como quem não quer, querendo, foi ao garoto. Deus-lhe uma "salivada", comprou um e terminou descobrindo onde morava o famoso artesão dos tabaqueiros.
Foi lá e, sem maior dificuldade, deu-se a conhecer e falou de sua importante missão: - levá-lo de volta à família, que chorava e reclamava sua ausência. Sentados em banquinhos de madeira, na sala, discutiram os prós e contras, os "sins" e os "senões". O velho, relutante, teimoso, sem querer voltar! A argumentação do enviado diplomático foi a mais forte e tocante: - as lágrimas e temores da família, os cometários dos amigos e não era possível que São Raimundo Nonato concordasse com aquilo! O velho se balançou nas suas bases, fez fincapé na sua trincheira... as terminou concordando em voltar. Marcado o regresso, lá se vão, pelos caminhos que trazem de volta o filho pródigo, Félix e seu anjo da guarda. Durante a viagem aquela conversa mole de amaciar coração, desanuviar espírito, trá-lá-lá... Vai nascendo, na alma do velho, aquele sentimento de renúncia, perdão, contemporização. Nada como o "lar, doce lar", argumentam os dois.
Depois de longa viagem, chegando à Aba da Serra, à porta da casa que espera o "arrependido", com um abração, separam-se os caminhantes amigos. Na mais bruta calma e serenidade, Félix pendurou a maca num torno que havia no alpendre e se sentou num banquinho, seu velho conhecido. As roupas, surradas da caminhada, os cabelos e a barba, crescidos e embranquecidos, davam-lhe um ar de ermitão dos desertos. Decorrida mais ou menos meia hora, a velha Ana apareceu, casualmente, e, debruçando-se na meia-porta de baixo deu com a figura paciente do velho marido, aquele, com o qual jurara, há mais de cinquenta anos, "marchar juntos e de mãos dadas, por toda a vida". Olhou, ironicamente, para ele e, a boca mole desdentada, a cara lambuzada de farinha, as mãos postadas na rotunda "garupa", só fez dizer: -
- Por onde tanto andou, que tão bom cabelo criou?
O velho Félix da Aba da Serra (nem sei que sentiu!) levantou-se, de vez, tirou a maca do torno e sem dizer uma palavra, novamente, meteu na estrada seus passos vigorosos e tomou rumo rumo da Paraíba. Até Hoje ninguém deu mais notícias dele. Taí em que zanga de velhos... coisinha "renitente!".
Atenção, gentil leitora, não leia o que se segue: - é pura pornografia, safadeza das mais grossas! Disse-me, certa vez, um neto do velho Félix que o que motivou a revolta e saída do seu venerável avô foi a falta de decoro e compostura de D. Ana, que, já passada dos sessenta - quando devia se dar mais a respeito! - usou, na festa de São Raimundo, um vestido curto, escandaloso, indecente que a todos mostrava as "bolachas" dos tornozelos! Tem jeito uma coisa desta?
(Garanto que você leu este pedacinho, só pela "advertência)

Dr. José Ferreira
Médico e escritor varzealegrense

de seu livro Contos estranhos